Skip Navigation Links

O que é Maçonaria?

      A Maçonaria é uma sociedade fraternal, que admite todo homem livre e de bons costumes, sem distinção de raça, religião, ideário político ou posição social. Suas principais exigências são que o candidato acredite em um princípio criador, tenha boa índole, respeite a família, possua um espírito filantrópico e o firme propósito de buscar a perfeição, enquanto ser humano, aniquilando seus vícios e trabalhando para a constante evolução de suas virtudes.

      A Maçonaria não faz referência a uma ou outra religião ou crença entre religiões, pois acredita que tudo que existe é fruto de uma força superior criadora. Essa força superior, maçonicamente, é retratada pelo nome de Grande Arquiteto do Universo, que é uma simples designação maçônica, que permite a congregação de maçons de diferentes religiões.

     A Maçonaria sempre teve (e hoje continua a ter) entre seus integrantes: muçulmanos, católicos, espíritas, budistas, evangélicos, protestantes, judeus e outros, que se reúnem numa mesma loja maçônica. Por isso, as reuniões em uma loja maçônica congregam maçons de diversas crenças, sem invadir ou questionar seus conteúdos, o que faz com a tolerância e o conhecimento sejam aprimorados.

     A maçonaria exige de seus membros, respeito às leis do país em que cada maçom vive e trabalha. Os princípios Maçônicos não entram em conflito com os deveres que como cidadãos têm os Maçons, pois esses princípios reforçam o cumprimento de nossas  responsabilidades públicas e privadas. Para um maçom, as suas obrigações como cidadão e pai de uma família devem, necessariamente, prevalecer sobre qualquer outra obrigação e, portanto, não dará nenhuma proteção a quem agir desonestamente ou contra os princípios morais e legais da sociedade.

      A maçonaria teve influência decisiva em grandes acontecimentos mundiais, tais como a Revolução Francesa e a Independência dos Estados Unidos da América
e de muitos países da Europa e da América. No Brasil, deixou suas marcas, especialmente na independência do Brasil do jugo da metrópole portuguesa e, entre outras, a inconfidência mineira e a Revolução Farroupilha, no extremo sul do país. Vários Estados da Federação possuem símbolos maçônicos nas suas bandeiras, como Rio Grande do Sul e Minas Gerais, por exemplo.

      
A maçonaria universal utiliza o sistema de graus para transmitir os seus ensinamentos, os quais são estudados ao longo  da vida maçônica, cujo acesso é obtido por meio de uma Iniciação a cada grau: Aprendiz, Companheiro e Mestre Maçom.

       

Como ser um Maçom?

 

  

       Ser Maçom é preservar-se cidadão honesto e digno, submisso às leis do País, amigo de sua Família, bom pai e bom esposo, cuidador da família, pessoa de paz, de harmonia e concórdia no seio da sociedade e, principalmente, no seio da Maçonaria.

         O Maçom deve ser livre e de bom coração, defensor da liberdade e dos direitos sagrados da consciência e da cidadania, não permitindo jamais que vibre em seu cérebro idéias de injustiça ou maldade. Deve ter conduta honrada, ser exemplo para sua comunidade, dignificar a mulher e a família, ajudar os necessitados e procurar gozar os prazeres da vida com moderação, evitando a ostentação que ofende os mais humildes. Deve estar sempre pronto a repelir toda e qualquer associação, seita ou forma de governo que prive o homem de seu direto de cidadão e, principalmente, de sua liberdade de consciência.  Deve ser contrário a toda forma de opressão, estar sempre pronto a combatê-la, em especial, quando ela visa atingir os mais humildes.

          Para o Maçom a Coluna mais forte da Família Maçônica é a mulher. Diz um ditado popular   que atrás de um grande homem existe sempre uma grande mulher. Os Maçons dizem que ao lado, e não atrás ou na frente, está uma grande mulher, esposa, irmã ou filha, que é quem traz a consolação, o conforto e o alento nas amarguras, nas atribulações e nos momentos mais difíceis de nossas vidas.


         A admissão à Maçonaria é restrita a pessoas adultas sem limitações quanto à raça, credo e nacionalidade, desde que gozem de reputação ilibada e que sejam homens íntegros. Nenhum homem, por melhor que seja, poderá ser recebido na Maçonaria, sem o consentimento de todos os maçons. Se alguém fosse imposto à Maçonaria, poderia ali causar desarmonia, ou perturbar a liberdade dos demais, o que é evitado. 

        A aceitação do pedido de ingresso na Ordem depende bastante da declaração de motivos do candidato. A Ordem espera que o candidato seja sincero perante sua própria consciência, quando do preenchimento da proposta de admissão. Quando alguém se candidata a ingressar na Maçonaria, é verificado em sindicância se dispõe de ganhos pecuniários que permitam cumprir os compromissos maçônicos, sem sacrificar a família.   Vale dizer que nenhum homem casado poderá entrar para a Maçonaria sem que a esposa esteja de acordo.  É óbvio que, ao se iniciar na Maçonaria, o indivíduo deverá assumir compromissos derivados de participação engajada e responsável nas lides maçônicas. Entre os compromissos e responsabilidades, encontram-se aqueles de estudar, com mente aberta, as instruções maçônicas, bem como, o de manter denso sigilo sobre os ensinamentos recebidos e contribuir pecuniariamente para a manutenção de sua Loja e sua Obediência. Os compromissos e responsabilidades, a propósito, são do mesmo gênero daquelas encontradas em qualquer associação humana. 

          É fato inconteste que uma das finalidades da Ordem é a de implantar sistematicamente na sociedade humana uma efetiva fraternidade entre os homens. Ao contrário do “folclore” que alimenta a crença de muita gente, a Maçonaria não é uma sociedade secreta e exerce suas atividades extensivamente, sob o pálio da legitimidade de sua natureza e da legalidade de seus atos e fatos administrativos, fiscais e tributários. Suas Propriedades, Constituições, Emendas, Regimentos e Estatutos são registrados em cartório de imóveis, títulos e documentos, e publicados em Diário Oficial. 

        Uma vez Iniciado, o postulante torna-se Maçom, e, como tal, estará, para todo o sempre,   sob constante vigilância de sua própria consciência e dos demais Maçons.

        Assim, para integrar a Maçonaria, é necessário, antes de tudo, que o postulante ao ingresso nos quadros da Ordem Maçônica, se autoavalie em busca de valores, costumes, atitudes e  comportamentos sociais exteriorizados, cotejando-os com algumas premissas a seguir apresentadas:

 

  • Legal:

- ser emancipado e ter completado 18 anos antes da cerimônia de Iniciação;
- se dependente pecuniariamente, obter anuência dos tutores ou genitores;
- se engajado em união estável, contar com a concordância da esposa;
- ser um homem íntegro, ligado e atualizado em relação ao seu tempo;
- ser empreendedor e capaz de assumir responsabilidades;
- ter emprego, residência e domicílio fixos, no Estado e Município) pleiteado;
- ter atividades profissionais lícitas, não importando o metier.
- esperar encontrar na Loja pleiteada, homens livres, de bons costumes, que dignificam a Pátria e a Família.

  • Doutrinário:

- ter religiosidade, melhor do que religião: crer em Deus, independente da religião que professe;
- ter uma idéia clara da virtude e do vício, adotando aquela e rejeitando este;
- estar apto a apreender conhecimentos litúrgicos e filosóficos;
- distinguir entre religião e maçonaria;
- ser respeitado na Iniciação, não só pelas características esotéricas, exotéricas e metafísicas do evento, como pelo significado simbólico trazido pelas nossas tradições e regularidade.

Prático:

- ser íntegro e apresentar bons costumes;
- ter boa família;
- seguir as leis.

  • Metafísico:

- ser receptivo às idéias;
- estar ideologicamente alinhado com a idéia de um Ser Superior.

Da tradição:

- estar apto ou pronto, disposto e capacitado, a manter as tradições maçônicas.

  • Iniciático:

- creditar respeito ao processo iniciático;
- manter o espírito receptivo, pois nada lhe será cobrado, mas tudo será esperado.
    

 

 
Copyright © 2017 Maçonaria Virtual